A Bela e a Fera 2017 (532).jpg

Vamos às dúvidas frequentes.

Estas são perguntas frequentemente apresentadas em nossa escola por pais e mães interessados em matricular seus filhos em nossa escola. Achamos por bem colocar as respostas para estas perguntas a fim de facilitar um pouco na compressão do universo da dança. Se tiver uma dúvida, escreva para nós clicando no link fale com a gente. Teremos o maior prazer em respondê-la.

 

1 - Qual a diferença entre ballet clássico, ballet moderno, contemporâneo e jazz?

 

Ballet

As origens do balé surgiram em celebrações públicas italianas e francesas nos séculos XV, XVI e XVII. Assim, o balé se estruturou na Itália, antes de se desenvolver na França. É uma das danças mais complexas que existe. Seus movimentos que não se limitam somente ao chão, explora também o ar em saltos surpreendentemente belos. O preparo necessário para a execução de cada movimento, a graciosidade dos bailarinos misturadas a força é o que dá toda a grandeza dessa arte doce e forte.

Ballet Clássico

A conotação “clássico” do Ballet Clássico, ou Dança Clássica, surgiu numa época em que o ballet desenvolvido na Rússia  e na Itália buscavam se superar na complexidade de suas técnicas, exigindo o máximo de seus bailarinos e bailarinas em suas performances. Isto propiciou uma grande evolução nesta arte. Um exemplo deste aprimoramento são os 32 fouettés da bailarina Pierina Legnani em "O Lago dos Cisnes".

Esses ballets também se preocupavam em contar histórias que se transformaram basicamente em contos de fadas. Nestes Ballets procura-se sempre incorporar sequências complicadas de passos, giros e movimentos que se adaptem com a história e façam um conjunto perfeito. No Ballet Clássico a roupa mais comumente usada eram os tutus pratos, aquelas sainhas finas de tule, marca característica da bailarina, pois permitiam que as pernas da bailarina fossem vistas e assim ficasse mais fácil verificar se os passos estavam sendo executados corretamente. Como exemplos de Ballets Clássicos temos o já citado "O Lago dos Cisnes" e "A Bela Adormecida".

Ballet  Moderno e Contemporâneo

Ballet Moderno e Ballet Contemporâneo são estilos diferentes de dança, apesar do segundo se derivar do primeiro. O primeiro foi pioneiro ao romper as regras clássicas e introduzir novas ideologias na dança e, por isso, foi o grande influenciador do segundo. Os dois estilos se diferenciam não só no período de surgimento como também na técnica.

O Ballet Moderno  surgiu no Brasil na década de 1970. Ele preservou o uso das pontas e gestuais ainda próximos do Ballet Clássico. Neste estilo de dança a coreografias começam a ter ideologias diferentes. Não há mais uma história que segue uma sequência de fatos lógicos, mas sim muitos passos do ballet clássico misturados com sentimentos. As roupas usadas no Ballet Contemporâneo são geralmente colants e malhas, como em uma aula normal, para dar maior liberdade de movimento aos dançarinos.

Assim, diferentemente do que acontecia no balé clássico, os bailarinos da dança moderna, muitas vezes, eram estimulados a criar, participar de laboratórios que trouxessem sentimentos, ideias e sequências pessoais para a coreografia. Dessa forma, a dança moderna propiciou radicais transformações em termos de novos padrões de movimentação, possibilidades técnicas, métodos de criação e arsenal conceitual.

A dança contemporânea (Ballet Conteporâneo) pode ser mais bem descrita como uma dança pós-moderna. No Brasil, ela se firmou como um estilo próprio na década de 1990 e possui características bastante semelhantes ao moderno - tais como liberdade técnica, ruptura com a rigidez clássica. Ela busca passar sensações do mundo urbano, rápido e agitado. A arte reflete ou expressa a sociedade contemporânea, fazendo uma fusão  entre vários estilos - moderno, hip-hop, street dance, clássico, jazz e outros – podendo agregar também técnicas diferenciadas, a exemplo da Companhia Deborah Colker, que aplica acrobacia em várias de suas coreografias.

Alguns dos principais definidores do que vem a ser o estilo contemporâneo (ou pós-moderno) são: fragmentação, multiplicidade, justaposição, repetição, uso constante de referências a épocas diversas, experimentação e ousadia em ironizar o modo de vida atual.

Jazz

O Jazz tem em sua origem a cultura negra africana levada aos Estados Unidos pelos negros escravos. Com raízes populares se transformou quando os escravos foram proibidos de dançar e tocar tambores em suas festas e cultos. Os negros começaram a mesclar ritmos europeus, assim surgiu a dança que era uma mistura da imitação dos ritmos europeus com os costumes naturais dos negros, com muita marcação de quadril, ritmo pulsante e balanço.

Por volta de 1900, as danças afro-americanas começaram a se propagar pelo país e a entrar nos salões de baile, sofrendo assim novas influências. Logo esta dança passou a ser dançada por negros e brancos, e a tomar conta dos palcos, eram os primeiros passos da dança que hoje conhecemos como Jazz.

Esta dança é hoje considerada uma forma de expressão mais livre que o ballet e baseada no improviso, embora muitos dos trabalhos nesta modalidade sejam coreograficamente montados, principalmente no Jazz-Teatro. O grande triunfo desta dança nos EUA é visto principalmente nos espetáculos da Broadway.

O jazz tem certas características marcantes, e hoje vem alcançando alto nível técnico por utilizar técnicas de outras modalidades de dança como o balé clássico, a dança contemporânea, a ginástica olímpica, o sapateado aliado ao raciocínio rápido, garra, força, precisão de movimentos e expressão corporal e facial.

2 - Com quantos anos a minha filha pode iniciar o estudo do ballet?

 

Esta é uma dúvida muito comum entre os pais.

 

Em nossa escola, as crianças iniciam os seus estudos com quatro anos completos.

 

Muitas mães ficam ansiosas para iniciar suas filhas no estudo do ballet antes dos quatro anos de idade.

Antes dos quatro anos a criança se distrai muito e está aprimorando a capacidade de concentração. A coordenação motora ainda não é apropriada para oballet e a criança tem pouco equilíbrio. Nessa idade o corpo está em formação e não pode ser exigido fisicamente na linha do ballet.

 

Aos quatro anos, o ballet já é uma atividade física que pode ser aprendida e desenvolvida pela criança com ótimos resultados, desde que ensinado corretamente. 

 

Nessa fase são trabalhados, principalmente, aspectos lúdicos da dança, a consciência corporal, a noção de espaço, a musicalidade da criança, postura e disciplina.

 

Na idade de cinco anos, há ganhos mais rápidos no desenvolvimento artístico da criança decorrentes de uma maior consciência do corpo, de uma capacidade de concentração e memorização maior, além do desenvolvimento da flexibilidade que facilitam muito no aperfeiçoamento da musculatura da criança contribuindo para a formação física da pequena bailarina. O professor, nessa fase, proporcionará ao aluno atividades fundamentadas nos princípios da dança criativa, que podem estimular, motivar e estabelecer uma interação entre os alunos, facilitando o relacionamento interpessoal e a exploração do espaço. Tais atividades estimulam a capacidade de solucionar problemas de maneira criativa, desenvolvem a memória, o raciocínio e a autoconfiança, além de ampliarem o repertório de movimentos da criança. Iniciam-se as primeiras posições básicas e movimentos mais simplificados do ballet clássico, sempre respeitando a estrutura física da criança.

 

Na faixa de idade 8-9 anos a criança tem uma estrutura física boa para um maior desenvolvimento físico no ballet clássico e com as características mencionadas anteriormente já desenvolvidas, podendo realizar algumas das principais posições sem comprometimento.

 

Como podemos ver, existe uma abordagem diferente para cada faixa etária, resta a escola estar atenta para respeitar os limites de cada criança. Assim, MUITA ATENÇÃO MÃES, conversem sempre com os professores para que eles informem qual a metodologia aplicada na escola em relação à faixa etária de sua filha.

3 - O que é ballet de repertório?

 

Os ballets de repertório contam uma história usando a dança, a música e a mímica. Ou seja, é um conjunto de coreografias que contam uma estória.

 

Foram montados e encenados durante o século XIX, e até hoje são remontados com as mesmas músicas e suas coreografias de origem, baseados no estilo da escola que vai apresentá-lo. Seguem tradicionalmente sua criação. No palco se apresentam os grandes bailarinos, o corpo de baile e os solistas.

 

Principais ballets de repertório: O Lago dos Cisnes, O Quebra Nozes,A Bela Adormecida, Don Quixote, Giselle, Romeu e Julieta, La Sylphide, Coppélia, Petrushka, Spartacus, A Sagração da Primavera, Pássaro de Fogo, Harlequinade, La Fille mal gardea, La Bayader, Satanela, Paquita, Diana e Acteon, Chamas de Paris, Le Espctre De La Rose, Le Corsarie, além de outros.

4 - Quais os benefícios para a saúde, proporcionados pela prática da dança?

 

A dança é a arte do movimento e da expressão, mas também é uma necessidade natural e instintiva do homem. Além disso, a dança permite desenvolver ao bailarino o seu físico, sua mente e psique, além de outros oito aspectos bastante importantes: a beleza: melhora a postura, corrige pés chatos e joelhos para dentro, queima as gorduras e desenvolve os músculos e a capacidade respiratória, além de dar porte, naturalidade e segurança aos movimentos; a visão: dá a capacidade de perceber formas e linhas; a precisão: disciplina o sistema nervoso, muscular e mental; a coordenação: com exercícios como dançar em pontas, fazer equilíbrios e saltar, trabalhamos os músculos em sua capacidade máxima e melhoramos nossa coordenação; a flexibilidade: precisa dizer alguma coisa?; a tenacidade: musicalidade e ritmo; a imaginação: tendência natural desenvolvida através da dança; e a expressão: a mais importante qualidade artística, também desenvolvida por meio da dança.

 

Fonte: https://http-www-historiadoballet.webnode.com.br/os-beneficios-do-ballet-classico/

5 - Tenho mais de 30 anos, ainda posso aprender a dançar o ballet?

Claro que sim. O Balé Clássico pode ser iniciado aos 30 anos tranquilamente, pois o conteúdo da aula de “Clássico Adulto”, turma criada para atender esse público, foi desenvolvido buscando atender necessidades específicas desse grupo. As aulas visam inserir o conteúdo do ballet clássico respeitando as características físicas e as facilidades que as jovens adolescentes ou adultos nos proporcionam.

Iniciamos esse trabalho considerando a coordenação motora, que é superior à coordenação de uma criança, ajudando muito no desenvolvimento das aulas.

O trabalho de flexibilidade e alongamento dos músculos é realizado de forma contínua, pois o trabalho muscular no balé busca fortalecê-los e alongá-los, deixando-os definidos e firmes.

A musicalidade, outra importante habilidade trabalhada, é inserida durante os exercícios por meio das músicas e da contagem dos movimentos, sua cadência e ritmos.

A postura é trabalhada e exigida do início ao fim da aula. Após uma aula de clássico adulto o aluno sai com a sensação de bem-estar pelo prazer que a música e a dança proporcionam!